WeCreativez WhatsApp Support
Atendimento ao vivo
Olá! Vamos falar sobre a sua necessidade?

    6 Dicas de Como o Coach pode Organizar Melhor suas Finanças

    690 388 Cláudia Lolita
    • 0

    Entender como organizar as finanças não é muito difícil. Apesar disso, poucas pessoas se preocupam com a saúde financeira da sua família e acabam trabalhando no mês para pagar as contas do anterior.
    Dentre os problemas causados por esse descontrole, os mais comuns são o uso excessivo do cheque especial, as dívidas no cartão de crédito e a necessidade de pedir empréstimos. Tudo isso se torna uma bola de neve com o passar do tempo e, em alguns casos, a situação é quase irreversível.
    Para evitar que isso aconteça com você, querido coach separamos seis dicas de organização financeira que salvarão o seu dinheiro. Confira!

    1. Registre seus gastos e ganhos

    Toda organização, independentemente de qual seja, começa pelo registro minucioso do que está sendo analisado. Mas gente, com isso é possível entender a origem dos gastos e a compatibilidade deles com os recebimentos.
    Para que isso funcione, você precisa anotar tudo, okay? Nenhum gasto é pequeno ou superficial demais que não mereça entrar para o seu cálculo no final do mês. Afinal de contas, um cafezinho de R$ 1,50, quando tomado antes do trabalho diariamente, dá um total de R$ 33,00 por mês, ou R$ 396,00 por ano.
    Se só o café já gera esse valor, imagina os outros gastos, não é mesmo? Por isso, o registro é importante. A melhor ferramenta para fazer esse serviço é a planilha de gastos. Mas, em vez de simplesmente fazer isso no computador, que tal usar a famosa nuvem?
    O Google tem excelentes opções para você levar no bolso. Pegue seu celular, baixe o Google Drive e as Planilhas Google e monte sua planilha. Além de prática, essa opção é segura e permite que você compartilhe seus documentos com outras pessoas, e, assim, toda a família pode anotar seus gastos.

    2. Planeje constantemente

    Como estamos falando de como organizar as finanças, não poderíamos deixar de mencionar o famoso planejamento. Essa importante estratégia é fundamental para que você lide bem com suas finanças, evite gastos desnecessários e, ainda assim, consiga fazer tudo o que tem vontade.
    A ideia, aqui, é a seguinte: em vez de viajar hoje e dividir as despesas no cartão, planeje esse passeio com antecedência e junte o dinheiro. Dessa forma, mesmo que você use o cartão, não existe a possibilidade de faltar dinheiro para pagar a fatura.
    Essa lógica pode ser aplicada a qualquer coisa. Quer pagar a faculdade dos filhos, comprar um carro ou uma casa? Então, planeje-se para isso, economize e atinja seus objetivos.

    3. Tenha metas bem definidas

    Além de planejar cada coisa que será feita, você também precisa de metas muito bem definidas. No tópico acima, demos exemplos do que pode ser feito de maneira planejada, correto? Entretanto, dificilmente você poderá fazer tudo o que foi falado simultaneamente.
    Por isso, é necessário dividir seus objetivos por ordem de prioridade. Comece pelo que é mais importante para você e sua família, estabeleça uma meta e esforce-se para cumpri-la. Ao tentar alcançar várias coisas ao mesmo tempo, você corre o sério risco de contrair uma dívida impagável.

    4. Aprenda a economizar

    Não importa qual é a sua renda, economizar é necessário! Isso é tão importante que alguns especialistas do mercado financeiro recomendam que as pessoas guardem, em média, 30% do próprio salário. Outros profissionais são mais radicais e insistem que o ideal é poupar 50%.
    A escolha de quanto deve ser poupado é sua, mas é fundamental que, pelo menos, 30% sejam guardados todo mês. Se você acha que isso é impossível, que seus gastos já estão bem controlados e que não tem como reduzi-los, então temos um problema.
    Nesse caso, sua renda não é compatível com o estilo de vida que sua família está levando. Para isso, só existem duas soluções: ou a renda familiar aumenta ao ponto de ser possível poupar os 30% que falamos, ou alguns gastos precisam ser cortados.

    5. Crie o hábito de investir

    Uma das principais ferramentas de controle financeiro que existe é o ato de investir. Ao aplicar seu dinheiro mensalmente, você guarda parte dele no mês, recebe rendimentos por esse capital e fica mais disciplinado.
    Só que, para isso dar certo, é preciso criar o hábito de investir. Então, escolha um valor que você pode abrir mão e comece a aplicá-lo mensalmente. Com o tempo, tente aumentar a quantidade de investimentos feitos no mês até chegar ao limite que é aceito pelo seu estilo de vida.
    Outra coisa interessante que pode ser feita é usar os investimentos para atingir objetivos. Lembra do que falamos sobre a importância de planejar antes de fazer alguma coisa? Esse planejamento pode ser feito com investimentos.
    Vamos voltar ao exemplo da viagem! Suponhamos que você queira viajar daqui a um ano e, por isso, precisa de planejamento. Inicialmente, precisamos fazer o levantamento do custo da viagem (preço da passagem, hospedagem, alimentação, transporte, etc.).
    Depois de ter as informações em mãos, você saberá exatamente quanto precisa poupar mensalmente, correto? Então, pegue esse dinheiro e coloque em alguma aplicação. Isso ajudará não só a guardar o dinheiro, mas, também, a trazer rendimentos.

    6. Use o cartão de crédito como débito

    Com seus altos juros, o cartão de crédito é uma das coisas mais temidas pelos brasileiros. Só que esse medo não é justificável. Você já parou para pensar que o cartão de crédito só tem juros elevados se você não pagar a fatura?
    Isso significa que, se o dinheiro da compra já está em sua conta bancária, não existe risco algum de sofrer com os juros do cartão. Dessa forma, se você usar essa forma de pagamento como se fosse um cartão de débito, os juros nunca serão um problema.
    Além disso, o crédito tem outra vantagem interessante: apesar de a compra ser feita hoje, o pagamento só acontece em trinta dias. Isso significa que seu dinheiro pode ficar rendendo durante todo esse período em alguma aplicação de alta liquidez.
    Bom gente, deu pra notar que organizar as finanças não é complicado? Além de fácil de fazer, essa ação traz vários benefícios: você fica menos estressada e pode dormir melhor ao saber que as finanças estão em ordem, seus objetivos podem ser alcançados com mais facilidade e seu futuro fica protegido.
    Se você acredita que a organização financeira é fundamental e ela deveria ser popularizada, que tal ajudar-nos nessa missão, compartilhando este texto nas suas redes sociais? Talvez um amigo seu também precise dessas dicas!

    Fica ligado no nosso próximo vídeo, que temos sempre uma dica legal para te dar.
    Um grande abraço

    AUTOR

    Cláudia Lolita

    Contadora graduada há 26 anos, advogada, corretora de imóveis, perita judicial contábil, presidente da Associação dos Contabilistas de Teresópolis, pós-graduada em Ciências Contábeis pela FVG RJ, MBA em Gestão Tributaria, pós-graduada em Pericia Judicial, pós-graduanda em Direito Processual Civil, MBA em Contabilidade Digital, mestranda em Ciências Contábeis pela FUCAPE, especialista em Liderança na Disney e na Missão Internacional de Negócios no Vale do Silício– EUA. Com vasta participação em eventos, palestras e cursos da classe contábil, é fundadora e diretora da CLAC – Claudia Lolita Assessoria Contábil, há 23 anos. É apaixonada pelo empreendedorismo contábil e pelas técnicas e estratégias que a contabilidade pode contribuir no desenvolvimento econômico e de negócios. Youtuber do canal CLAC CONTABILIDADE e do canal Claudia Lolita – Vida & Negócios

    Todas as histórias por: Cláudia Lolita

    Deixe uma resposta

    O seu email não será publicado.

    Seja o primeiro a saber!
    Assine nossa Newsletter!
    Receba boletins informativos sobre o mundo da contabilidade, para a sua empresa ou negócio.
    Assinar
    Não, obrigado!
    close-link