WeCreativez WhatsApp Support
Atendimento ao vivo
Olá! Vamos falar sobre a sua necessidade?

    Gestão de estoques

    600 338 Cláudia Lolita
    • 0

     

    Gestão de estoques

     

    Muito comum em empresas do comércio e em indústrias, o estoque costuma ocupar um espaço relevante na conta do ativo circulante dentro do balanço patrimonial das empresas. Mas o que é gestão de estoque e qual é a relação com a administração financeira?
    Existem diversos métodos de gestão de estoques. Nesse artigo vamos abordar os dois principais: sistema ABC e lote econômico de compra.

    Por que a gestão de estoques é importante para as finanças de uma empresa?

    Gestão De Estoques

    Gestão De Estoques

    Dependendo do ramo de atividades, e também da política de gestão de estoques, a empresa pode manter um nível maior ou menor de estoques. Empresas de tecnologia e bancos, por exemplo, mantém nenhum ou pouquíssimo estoque. Indústrias e empresas do comércio, por outro lado, precisam ter mais cuidado com este tema, para não manterem estoques exagerados e nem deixarem faltar insumos e produtos necessários.
    O controle de estoques é assunto para a administração de materiais, mas a preocupação da gestão financeira com esta área relaciona-se com o fato de que quanto maior a quantidade de estoques que a empresa possui, maior é a quantidade dinheiro que fica “parado”, seja na forma de matéria-prima, insumos e componentes, ou como produto acabado.

    No modelo de administração “fordista” ainda não havia preocupação com o excesso de estoques. Era comum as organizações se preocuparem em produzir, e depois em vender, mantendo níveis elevados de estoque.
    Posteriormente, com o advento do “toyotismo”, no Japão,  principalmente após a década de 1970, emergiram diversos modelos que se preocupam em reduzir o valor do dinheiro que fica investido em estoques, como o Kanban e o Just-in-time.

    Estoques

    Estoques

    A gestão de estoques e o balanço patrimonial

    No balanço patrimonial das organizações, “estoque” é uma conta do ativo circulante. Ou seja, dentro da administração financeira, o estudo da gestão de estoques faz parte das finanças corporativas de curto prazo.
    A tabela a seguir mostra a razão entre o saldo da conta estoques e o total do ativo circulante para diferentes empresas listadas em bolsa. Da bolsa brasileira (BM&FBovespa) a tabela tem dados da Gerdau, Petrobrás, Lojas Americanas e Lojas Renner; já da bolsa de tecnologia americana, a NASDAQ, a tabela mostra dados da Apple e da Microsoft.

    • STOQUE / ATIVO CIRCULANTE 2015 2014 2013 2012
    • Gerdau (GGBR4) 39,6% 42,9% 46,8% 55,0%
    • Lojas Americanas (LAME4) 28,1% 28,7% 27,5% 25,9%
    • Petrobrás (PETR4) 17,15 22,6% 27,0% 25,2%
    • Lojas Renner (LREN3) 16,7% 17,5% 16,9% 18,2%
    • Apple (AAPL/NASDAQ) 2,0% 2,6% 3,1% 2,4%
    • Microsotf (MSFT/NASDAQ) 1,6% 2,4% 2,3% 1,9%

    As considerações que podemos obter pela análise da tabela é que empresas industriais e também as comerciais tendem a manter níveis de estoques mais elevados, justamente pela característica do seu negócio.

    A Gerdau, por exemplo, nos últimos 4 anos tem reduzido seu nível de estoques em relação ao total do ativo circulante, de 55% para 39%, mas mesmo assim é uma grande quantidade de dinheiro envolvida neste item do ativo circulante. Já no caso da Microsoft, por exemplo, a conta estoque não representou mais do que 2,4% do ativo circulante nos últimos 4 anos.

    Para falar da curva ABC, ou do sistema ABC, é preciso falar do princípio de Pareto. Vilfredo Pareto foi um sociólogo e cientista político italiano. Ele percebeu em um de seus estudos que a distribuição da renda da população não era uniforme. Ou seja, cerca de 80% da renda estava na mão de 20% das pessoas.
    Posteriormente, percebeu-se que esta ideia era aplicável a diversos outros contextos. Então, generalizando, o princípio de Pareto pode ser resumido na seguinte frase: “cerca de 80% dos efeitos são originados por aproximadamente 20% das causas”.

    A Importância Da Gestão De Estoques

    A Importância Da Gestão De Estoques

    Em alguns casos utiliza-se a relação 70-30 e não 80-20.
    Veja alguns exemplos: “70% dos dias eu uso 30% das minhas roupas”; “80% das vezes que almoço fora eu frequento 20% dos restaurantes que conheço”; “70% das visitas do meu site são geradas por 30% das páginas”; “80% das vendas da minha empresa vem de 20% dos meus produtos”.

    A curva ABC trata-se da aplicação do princípio de Pareto no contexto da gestão de estoques. A frase que resume a ideia da curva ABC ficaria algo como “70% do valor investido em estoque na minha empresa vem de 30% dos itens”.
    Neste método as letras A, B e C representam grupos de itens do estoque em relação ao valor total de investimentos feitos:
    Grupo A: poucos produtos, mas que requerem a maior parte dos investimentos;
    Grupo B: uma quantidade de itens um pouco menor e com um pouco menos de representatividade que os itens do grupo A, mas ainda deve-se prestar atenção nestes itens;
    Grupo C: uma grande quantidade de itens, mas que não representam muito valor investido.

    A tabela abaixo mostra resume a ideia da curva ABC aplicada à gestão de estoques:
    GRUPO VALOR INVESTIDO EM ESTOQUE(% DO TOTAL) QUANTIDADE DE ITENS (% DO TOTAL)

    • A 70% 10%
    • B 20% 20%
    • C 10% 70%

    O valor investido em estoque pode ser medido como uma multiplicação do valor unitário pela quantidade do item em estoque. Depois disso é feita uma classificação decrescente do valor investido e são encontradas as proporções para categorizar o produto nas classes A, B e C.

    Ao definir quais itens fazem parte dos grupos A, B ou C, a empresa consegue saber quais itens são mais relevantes e devem ter uma dedicação maior envolvida.
    Lote econômico de compra (LEC)
    Na gestão de estoque, o lote econômico de compra (LEC) é a quantidade a ser comprada de um produto que irá minimizar os custos de estocagem. Para isso são considerados os custos operacionais e financeiros gerados pela compra de um produto.

    A fórmula do LEC é derivada a partir da equação do “custo total”, que na gestão de estoque é encarado como o custo de comprar mais o custo de manter um item estocado. A equação do lote econômico de compra (LEC) é dada pela seguinte expressão:
    LEC=2×Q×CCeCMe−−−−−−−−−−−√
    Sendo que Q é a demanda, ou seja, a quantidade de itens que a empresa precisa do produto em análise; CCe é o custo de comprar por encomenda (também chamado de custo do pedido) e CMe é o custo unitário de manter o produto.
    Exemplo de LEC
    Suponha que, mensalmente, a empresa precisa de 3.000 unidades (Q) de um item que custa R$ 50,00 (CCe). A empresa estima o custo de manter este produto estocado (CMe) em R$ 0,50 por mês para cada unidade. Veja como ficam esses dados na equação do LEC:

    LEC=2×3.000×502−−−−−−−−−−−−√=775 unidades
    Para encontrarmos quantos serão feitos mensalmente dividimos 3.000 pelo LEC. O resultado será 3.000/775=3,87[\latex], ou seja, praticamente um pedido por semana. Lembrando que o LEC supõe que a entrega do produto é imediata.

    Considerações finais
    Este artigo apresentou o que é gestão de estoque no contexto da administração financeira. O estudo deste assunto justifica-se, como mostrado, no fato de que diversas empresas (principalmente as comerciais e industriais) têm um valor significativo investido na conta “estoques” do ativo circulante. Portanto, utilizar os métodos disponíveis para a gestão de estoques é fundamental no dia a dia de um bom gestor financeiro.
    Você pode visitar nossa empresa agendando uma visita, ou fazer uma visita no nosso site www.grupocclac.com.br.

    Bom gente é isso ai, conta com a gente, pois temos sempre um vídeo com assuntos bem legais para você.
    Ok? Um grande abraço.

    Att. Cláudia Lolita – CEO da CLAC Contabilidade

     

    AUTOR

    Cláudia Lolita

    Contadora graduada há 26 anos, advogada, corretora de imóveis, perita judicial contábil, presidente da Associação dos Contabilistas de Teresópolis, pós-graduada em Ciências Contábeis pela FVG RJ, MBA em Gestão Tributaria, pós-graduada em Pericia Judicial, pós-graduanda em Direito Processual Civil, MBA em Contabilidade Digital, mestranda em Ciências Contábeis pela FUCAPE, especialista em Liderança na Disney e na Missão Internacional de Negócios no Vale do Silício– EUA. Com vasta participação em eventos, palestras e cursos da classe contábil, é fundadora e diretora da CLAC – Claudia Lolita Assessoria Contábil, há 23 anos. É apaixonada pelo empreendedorismo contábil e pelas técnicas e estratégias que a contabilidade pode contribuir no desenvolvimento econômico e de negócios. Youtuber do canal CLAC CONTABILIDADE e do canal Claudia Lolita – Vida & Negócios

    Todas as histórias por: Cláudia Lolita

    Deixe uma resposta

    O seu email não será publicado.

    Seja o primeiro a saber!
    Assine nossa Newsletter!
    Receba boletins informativos sobre o mundo da contabilidade, para a sua empresa ou negócio.
    Assinar
    Não, obrigado!
    close-link